O que é a Reprogramação Biológica?

A Reprogramação Biológica é uma abordagem terapêutica de autoconhecimento e cura natural do corpo e da mente, compreendendo os processos biológicos que acontecem com o ser humano e sempre levando em conta a pessoa sob uma visão integral, isto é, dando atenção a todos os aspectos de sua vida.

O método conhecido como Reprogramação Biológica foi criado pelo Dr. Mauricio Mohalem Valente, formado em Educação Física e Fisioterapia, pós-graduado em Fisiologia, mestre em Bioengenharia e possui formação internacional em Microfisioterapia, Leitura Biológica, Leitura Biológica em Psiquiatria, Equilíbrio Neuromuscular e Nova Medicina Germânica.

A Reprogramação Biológica reúne um conjunto de técnicas que embasam e dão vida e coerência ao estudo, quais sejam:

  • Nova Medicina Germânica (ou Germânica Heilkunde®), do Dr. Ryke Geerd Hamer;
  • Constelações Sistêmicas Familiares, de Bert Hellinger;
  • Física Quântica;
  • Programação Neurolinguística (PNL), cujos pioneiros foram Richard Bandler e John Grinder.

Destas bases da Reprogramação Biológica, podemos considerar que a mais forte é a Nova Medicina Germânica, criada pelo Dr. Hamer após ter estudado mais de 60.000 casos reais com pacientes, onde ele pôde comprovar a ligação das suas “doenças” com fatos dramáticos (choques biológicos) vividos por cada um deles. Assim, Dr. Hamer percebeu, testou e comprovou que tipos específicos de conflitos vividos pelas pessoas (como a perda de um ente querido, questões familiares envolvendo heranças ou mesmo uma auto desvalorização de imagem) dão origem a tipos também específicos de sintomas e processos biológicos.

O objetivo do tratamento através da Reprogramação Biológica é levar o paciente a entender qual trauma vivido em sua vida desencadeou o programa com sentido biológico (SBS), chamado até então de “doença” ou “enfermidade”.

Após encontrar a origem, ou seja, o choque biológico que deu início ao ciclo da “doença” ou “enfermidade”, e principalmente compreender o porquê de o corpo ter respondido de tal forma (sentido biológico), o paciente pode ter uma nova visão sobre o que está acontecendo em sua vida, com seu corpo, estando assim apto a concluir esse ciclo até o seu estágio final, que é a restauração da normalidade (ou cura, como preferir).

O método de tratamento com a Reprogramação Biológica é como uma consulta médica/terapêutica comum, porém, o terapeuta conversa com o paciente e investiga fatos em sua vida que podem ter sido o “gatilho” (DHS) para que o programa biológico tenha se iniciado. Portanto, a cura se dá através da informação, onde o paciente pode dar um salto de consciência e entender como seu corpo realmente funciona.

Vou dar um exemplo prático: imagine uma situação onde uma mãe anda com sua filha pela mão e, ao atravessar a rua, a menina solta rapidamente a mão da mãe e, em frações de segundos, é atropelada por um ônibus. Normalmente, esse fato gera na mãe um sentimento de impotência, de que “não fui rápida o suficiente para evitar esse acidente”. Isso fará com que a tireoide – glândula responsável por produzir tiroxina, hormônio que regula o metabolismo e o tempo em nossas vidas – comece a produzir massa (tumor), levando o paciente ao Hipertireoidismo, isto é, ao aumento do tamanho e da função da glândula tireoide. Por que isso acontece? Por que o corpo reage assim? Entendemos que todo processo biológico tem um sentido biológico, uma razão de existir. Nesse caso, ao aumentar a glândula tireoide, aumenta-se também a produção de tiroxina (T4), para que, se a mulher passar por uma outra situação semelhante, ela seja rápida o suficiente para evitar o acidente. Essa produção de massa da tireoide dura enquanto o conflito estiver em sua fase ativa, isto é, enquanto o paciente não entrar na fase de cura. Ela poderá entrar na fase de cura assim que resolver o conflito, seja através de uma nova situação onde consiga “ser rápida o suficiente”, seja através de uma mudança na percepção do ocorrido.

Além dos casos de processos biológicos (sintomas físicos), a Reprogramação Biológica também aborda outras situações, como relacionamentos familiares e conjugais, padrões repetitivos financeiros limitantes, sintomas psiquiátricos/psicológicos – tais como a depressão e o estresse -, dentre outros.

Então, como sua vida poderia mudar se percebesse que as “doenças” são, na verdade, processos biológicos naturais e inteligentes, iniciados pelo seu Sistema Nervoso Autônomo, com o objetivo de ajudar você a passar por um conflito da sua vida, e não um mal ou um azar, como nos tem sido ensinado desde pequenos? Quanto sua qualidade de vida e sua saúde poderiam melhorar se substituísse velhas crenças limitantes por novas e empoderadoras percepções sobre como seu corpo e sua vida funcionam?

Blog no WordPress.com.

Acima ↑